A essência da Transcendência é a real natureza da Eternidade!
- Melchizedek Maharaji -

Os Versos de Ouro de Pitágoras

os versos de ouro de pitagoras

Pitágoras escreveu esses versos há aproximadamente 2500 anos atrás.

Os Versos de Ouro, a partir do texto de Hierocles de Alexandria, com base na versão em língua inglesa feita por N. Rowe em 1707, e adotada hoje pela maior parte dos estudiosos da tradição pitagórica. Existem outras versões importantes dos Versos, entre elas a de Fabre d’Olivet (século 19).

 

  1. Honra em primeiro lugar os deuses imortais, como manda a lei.
  2. A seguir, reverencia o juramento que fizeste.
  3. Depois os heróis ilustres, cheios de bondade e luz.
  4. Homenageia, então, os espíritos terrestres e manifesta por eles o devido respeito.
  5. Honra em seguida a teus pais, e a todos os membros da tua família.
  6. Entre os outros, escolhe como amigo o mais sábio e virtuoso.
  7. Aproveita seus discursos suaves, e aprende com os atos dele que são úteis e virtuosos.
  8. Mas não afasta teu amigo por um pequeno erro.
  9. Porque o poder é limitado pela necessidade.
  10. Leva bem a sério o seguinte: Deves enfrentar e vencer as paixões.
  11. Primeiro a gula, depois a preguiça, a luxúria, e a raiva.
  12. Não faz junto com outros, nem sozinho, o que te dá vergonha.
  13. E, sobretudo, respeita a ti mesmo.
  14. Pratica a justiça com teus atos e com tuas palavras.
  15. E estabelece o hábito de nunca agir impensadamente.
  16. Mas lembra sempre um fato, o de que a morte virá a todos.
  17. E que as coisas boas do mundo são incertas, e assim como podem ser conquistadas, podem ser perdidas.
  18. Suporta com paciência e sem murmúrio a tua parte, seja qual for.
  19. Dos sofrimentos que o destino determinado pelos deuses lança sobre os seres humanos.
  20. Mas esforça-te por aliviar a tua dor no que for possível.
  21. E lembra que o destino não manda muitas desgraças aos bons.
  22. O que as pessoas pensam e dizem varia muito; agora é algo bom, em seguida é algo mau.
  23. Portanto, não aceita cegamente o que ouves, nem o rejeita de modo precipitado.
  24. Mas se forem ditas falsidades, retrocede suavemente e arma-te de paciência.
  25. Cumpre fielmente, em todas as ocasiões, o que te digo agora.
  26. Não deixa que ninguém, com palavras ou atos,
  27. Te leve a fazer ou dizer o que não é melhor para ti.
  28. Pensa e delibera antes de agir, para que não cometas ações tolas.
  29. Porque é próprio de um homem miserável agir e falar impensadamente.
  30. Mas faze aquilo que não te trará aflições mais tarde, e que não te causará arrependimento.
  31. Não faze nada que sejas incapaz de entender.
  32. Porém, aprende o que for necessário saber; deste modo, tua vida será feliz.
  33. Não esquece de modo algum a saúde do corpo.
  34. Mas dá a ele alimento com moderação, o exercício necessário e também repouso à tua mente.
  35. O que quero dizer com a palavra moderação é que os extremos devem ser evitados.
  36. Acostuma-te a uma vida decente e pura, sem luxúria.
  37. Evita todas as coisas que causarão inveja.
  38. E não comete exageros. Vive como alguém que sabe o que é honrado e decente.
  39. Não age movido pela cobiça ou avareza. É excelente usar a justa medida em todas estas coisas.
  40. Faze apenas as coisas que não podem ferir-te, e decide antes de fazê-las.
  41. Ao deitares, nunca deixe que o sono se aproxime dos teus olhos cansados,
  42. Enquanto não revisares com a tua consciência mais elevada todas as tuas ações do dia.
  43. Pergunta: “Em que errei? Em que agi corretamente? Que dever deixei de cumprir?”
  44. Recrimina-te pelos teus erros, alegra-te pelos acertos.
  45. Pratica integralmente todas estas recomendações. Medita bem nelas. Tu deves amá-las de todo o coração.
  46. São elas que te colocarão no caminho da Virtude Divina.
  47. Eu o juro por aquele que transmitiu às nossas almas o Quaternário Sagrado.
  48. Aquela fonte da natureza cuja evolução é eterna.
  49. Nunca começa uma tarefa antes de pedir a bênção e a ajuda dos Deuses.
  50. Quando fizeres de tudo isso um hábito,
  51. Conhecerás a natureza dos deuses imortais e dos homens,
  52. Verás até que ponto vai a diversidade entre os seres, e aquilo que os contém, e os mantém em unidade.
  53. Verás então, de acordo com a Justiça, que a substância do Universo é a mesma em todas as coisas.
  54. Deste modo não desejarás o que não deves desejar, e nada neste mundo será desconhecido de ti.
  55. Perceberás também que os homens lançam sobre si mesmos suas próprias desgraças, voluntariamente e por sua livre escolha.
  56. Como são infelizes! Não vêem, nem compreendem que o bem deles está ao seu lado.
  57. Poucos sabem como libertar-se dos seus sofrimentos.
  58. Este é o peso do destino que cega a humanidade.
  59. Os seres humanos andam em círculos, para lá e para cá, com sofrimentos intermináveis,
  60. Porque são acompanhados por uma companheira sombria, a desunião fatal entre eles, que os lança para cima e para baixo sem que percebam.
  61. Trata, discretamente, de nunca despertar desarmonia, mas foge dela!
  62. Oh Deus nosso Pai, livra a todos eles de sofrimentos tão grandes.
  63. Mostrando a cada um o Espírito que é seu guia.
  64. Porém, tu não deves ter medo, porque os homens pertencem a uma raça divina.
  65. E a natureza sagrada tudo revelará e mostrará a eles.
  66. Se ela comunicar a ti os teus segredos, colocarás em prática com facilidade todas as coisas que te recomendo.
  67. E ao curar a tua alma a libertarás de todos estes males e sofrimentos.
  68. Mas evita as comidas pouco recomendáveis para a purificação e a libertação da alma.
  69. Avalia bem todas as coisas,
  70. Buscando sempre guiar-te pela compreensão divina que tudo deveria orientar.
  71. Assim, quando abandonares teu corpo físico e te elevares no éter.

72. Serás imortal e divino, terás a plenitude e não mais morrerás.

Leave a Comment